segunda-feira, 7 de março de 2011

História Comestível da Humanidade

Quando pensamos em literatura a cerca da história da humanidade nos vem imediatamente à mente as cartilhas e apostilas pouco interessantes utilizadas nas salas de aula durante nossa formação básica que, temos que concordar, não passam de manuais engessados com pouca análise e muitas inverdades cômodas, o que nem vem ao caso no momento, falaremos disso outra hora, levemos em conta que este material  serviu apenas para nos fazer  registrar datas e nomes [o que fazemos sempre com muita dificuldade] a fim de prestar os exames de vestibular no final do extenso, mas nem sempre próspero, período escolar.
            O que os manuais não ensinam é que Há Várias Maneiras de Contar a História da Humanidade.
Claro que apresentaremos aqui uma proposta de análise da nossa história no universo tendo como ponto de referência a alimentação.
Parece loucura? Questione, então, Tom Standage, jornalista inglês editor de negócios da revista inglesa The Economist, autor do livro A história comestível da humanidade, segundo o qual os alimentos são uma espécie de chave para o passado. Neste trabalho Tom revela quanta influência alguns gêneros alimentícios tiveram sobre grandes conquistas e desastres, como guerras e temporadas de fome geral. Desde a fixação do homem na terra enquanto território, ou seja, desde que abandonamos a vida nômade, com surgimento da agricultura, há milhares de anos, a comida vem definindo estruturas sociais e divisões de classe, assim como é largamente responsável pela forma atual do mapa-múndi. Isso quer dizer que a história do mundo seria muito diferente se nossa relação com os alimentos fosse outra.
Mais que discutir o passado, o autor traz a tona temas atuais que se fazem desafios para o futuro, como a questão dos trangênicos e dos orgânicos e a iminente escassez de alimento para uma população em constante expansão.  
Em entrevista para a revista Época no final do ano de 2009, Tom Stage declara:
“Não acho que a comida tenha sido o único fator a influenciar os rumos da história, mas teve papel importante. O mundo como o conhecemos hoje foi moldado pela nossa relação com os alimentos. A comida sempre funcionou como um catalisador de transformação social. A estratificação da sociedade entre pobres e ricos, a divisão das pessoas em diferentes profissões, o desenvolvimento industrial, os conflitos militares, a competição geopolítica e econômica – tudo tem como base os alimentos. A civilização foi determinada por nossa alimentação. A organização em cidades – o significado real de civilização – tem raízes na forma como produzimos alimentos.”


O livro tem cerca de 280 páginas e custa em torno de trinta reais. Um ótimo exercício para a lição: Há várias maneiras de contar uma mesma história. Pratique.
Fica a dica. 

Um comentário:

Jessé Amaral Chahad disse...

Evelyn e Vilma, parabens pela iniciativa do blog.
A idéia foi genial e o tema com certeza está na boca de todos rs.