domingo, 17 de julho de 2011

Meu aniversário

Estou a um mês do meu aniversário. Há mais ou menos três meses, resolvi então organizar um cardápio diet. Sabia que ia sofrer, mais não desta forma!
Tenho encontrado muita dificuldade em encontrar produtos diets, e quando os encontro deixaria parte do meu salário em uma loja de tão caros que são.
Mais um dia de revolta!
Além dos gastos cotidianos com a doença, mal tenho o direito de comer algo "que posso", pois este orçamento não cabe muito bem em meu bolso...
Posso dizer que hoje trabalho para manter o diabetes: convênio médico, alimentação, medicamento e por aí vai...
Cai bem uma colocação de Rubem Alves "Traduzida de forma simples, a lei da oferta e da procura diz que, havendo procura, haverá oferta. Sou diabético. Minha vida está à procura de algo que seja capaz de controlar o açúcar no meu sangue. Se eu não fosse diabético nem procuraria o endocrinologista e nem compraria remédios. Mais ainda: se não houvesse diabetes não haveria laboratórios pesquisando, produzindo e vendendo medicamentos para diabetes. O diabetes de milhões, assim, é a garantia de bons negócios e lucros para os laboratórios. Mau negócio seria produzir um medicamento que viesse a curar o diabetes. Porque se o diabetes fosse curado, desapareceria esse mercado em demanda permanente de medicamentos. A cura do diabetes é um ideal ético louvável. Realizada, seria um bem para os doentes. Mas, segundo a lei da oferta e da procura, aquilo que é um bem para o ser humano não é, necessariamente, um bem para a economia. Seria um mal para os laboratórios, empresas que obtêm seus lucros da produção e venda de medicamentos a um mercado em expansão: a doença dos indivíduos é a saúde das empresas."

Fonte:http://www.rubemalves.com.br/sobreocrimeIII.htm

Kath Paloma

Um comentário:

Evelyn Lauro disse...

Força amiga, você vai conseguir!