segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Feliz Ano Novo

Até os mais céticos tem lá suas simpatias para a virada do ano... pular as 07 ondas, usar uma calcinha nova, chupar 07 uvas, comer lentilha e por aí vai e como não poderia deixar de ser eu também tenho lá minhas superstições e este ano meu pedido foi um só: prosperidade!

Como estava muito focada no meu pedido, resolvi fazer uma ceia predominantemente amarela. O açafrão coloriu o arroz, a farinha de milho no lugar da de mandioca deu o tom da farofa, as batatas coloriram a maionese e o abacaxi arrematou a sobremesa!

 E que os anjos digam amém!!!

Natal

O Natal é a festividade que confirma a minha teoria de que momentos felizes a gente celebra com muita comida! Tudo é abundante, muito saboroso e mesmo aquilo que a gente come o ano todo - porque toda ceia de Natal tem uma maionese - parece que ganha um sabor especial... parece não, ganha de verdade e um ingrediente muito especial. O post da Kath mais prá baixo dá uma pista do que é!

Passei o Natal mais uma vez em Bady Bassitt/SP na companhia de pessoas muito queridas e, como não poderia deixar de ser, de muita comida!

Me propus o desafio de fotografar tudo o que eu comi do café da manhã do dia 24 até o final do dia 25!!! Contei com a ajuda da Shellida, da Michele e do Otávio mas não foram raras as vezes que por ter esquecido de fotografar, tive que comer de novo!!!

Esse foi o caso do kibe feito pela Tia Gilda. Já tinha comido um monte quando me dei conta que não estava com a câmera fotográfica. Prá piorar a foto ainda não ficou boa de primeira, ó ceus kkkkk!!!









Se eu fosse comer todas as carnes e todas disponíveis ia ter que fazer uma infinidade de pratos como esse... escolhi bem e me contive!







Agora se tem uma coisa pela qual eu perco a linha é por esse pão doce recheado com ricota e frutas cristalizadas! Todas as cozinheiras da família, assim como a Tia Ilda, são igualmente talentosas mas esse pão... ai que saudade!!! 

Rodízio de Pizza

Caraca, estou a tanto tempo sem escrever que acho que estou até meio destreinada, mas nunca é tarde para tirar o atraso!!! Pelo menos por aqui ainda é 2012 porque ainda não compartilhei minhas últimas aventuras gastronômicas do ano passado.

A novidade fica pro conta de um rodízio de pizza que conheci no final do ano em São José do Rio Preto/SP. Tenho prá mim que rodízio de pizza é invenção de uma pessoa com uma mente muito gorda. Essa história de pizza à vontade, servida em fatias menores prá você poder experimentar uma gama maior de sabores é desculpa de gordinho prá comer muito e sem culpa. Que atire a primeira pedra quem nunca perdeu a linha num lugar desses... eu confesso que sucumbi!

O que torna essa experiência excepcional com relação às demais é que nesta pizzaria eles deixam na mesa pratos de sobremesa prá você dispensar as bordas das fatias que comeu - o negócio é comer só o recheio -  e como se um sem número de pizzas não fosse suficiente ainda mandam uma porção - couvert - de salgadinhos e batata frita???

 É de muita gordisse que estamos falando minha gente!!!!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Pastinha de ricota e pimentões...

De-lí-cia!

Ingredientes:
um pimentão vermelho pequeno
um pimentão verde pequeno
1 xícara de chá de ricota
1 dente de alho triturado
2 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de maionese
sal e salsinha a gosto

Preparo:
Leve os pimentões ao forno até que murchem. Retire as cascas e triture os pimentões.
Amasse a ricota com um garfo. Misture bem todos os ingredientes. Acerte o sal e seja feliz!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Pão de fubá.

Uma rapidinha entre o almoço e o jantar??? kkkk



Crocante por fora e macio por dentro.

Ingredientes:
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícara de chá de fubá
1/4 de xícara de chá de óleo ou azeite
2 colheres de sopa de açúcar
1 ovo
1 colher de sopa de sal
1 colher de café de erva doce
1 sachê de fermento para pão
3/4 de xícara de chá de água morna

Modo de preparo:
Amorne a água, misture o açúcar e o fermento. Espere fermentar.
Numa travessa junte os outros ingredientes, aos poucos misture o fermento dissolvido.
 A massa tem que ficar homogenia, elástica e sem grudar nas mãos. Se ficar mole, acrescente mais farinha. Se ficar ressecada, acrescente água.
Faça uma boa, cubra com um pano de prato limpo e deixe-a descansar por cerca de uma hora.
Molde e leve ao forno em forma untada e enfarinhada.
Dourou na superfície está pronto!


Cheirinho de pão quente.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Bolo vegano de laranja com gengibre...

Confissão!
É isso que trago hoje (risos).

Meu bolo deu certo. Ufa!
Tentei fazer um bolo domingo e... Deu errado de novo. No mesmo domingo eu descobri uma rede social cujo tema é alimentação vegana: Menu Vegano. Achei o máximo.

Hoje vi uma receita de bolo de laranja com gengibre, achei bem fácil e resolvi arriscar.

DEU CERTO!

Ficou uma delícia!

Confiram a receita e experimentem a rede social. Eu recomendo.

http://www.menuvegano.com.br/article/show/795/bolo-de-laranja-com-gengibre

domingo, 6 de janeiro de 2013

Comida com amor

Correria do dia a dia, como mais fora do que em casa, mesmo assim tenho que cozinhar, meu marido está mais tempo no lar e o tempo que passo por aqui  tenho vontade de comer "comida de verdade" como diz meu avô.

Confesso que passo no mercado compro o que preciso, venho para a casa e cozinho, sem "aquela vontade" que sempre tive, apenas para abastecer o corpo humano...

Como sempre, comemos e dividimos as tarefas, uma lava outro seca e assim sucessivamente. Quando sou surpreendida por uma pergunta do meu marido:

 -Quando você voltará a cozinhar com amor? Quando voltaremos a sentir aquele sabor na sua comida?

Nossa!!! Isso quebrou minhas pernas...

É bem verdade, há meses não fazia comida com "amor e vontade", apenas fazia para nos alimentarmos e não saborearmos...

E pra você o que é comida feita com amor?

Pra mim é dedicar-se aquele momento, é fazer com vontade e dedicação, é querer saborear e satisfazer a si e os demais...

Coisa que eu não estava pensando...

ps: Isto aconteceu em Set./2012.



sábado, 5 de janeiro de 2013

Chapati

"Chapati é um pão típico da culinária indo-portuguesa de Goa, Damão e Diu, outrora pertencentes ao Estado Português da Índia. Dado o número elevado de goeses radicados em Moçambique, é também um pão comum nas mesas nesse país africano."


Só posso dizer uma coisa: Não imaginava que a simples mistura de farinha, azeite, água e sal pudesse ser tão surpreendente.



Ingredientes

  • 250g de farinha de trigo
  • 1 pitada de sal
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • 1/4 xícara (60 ml) de água
  • Talvez precise de mais água

    Instruções de preparo

    Sobre uma vasilha, peneire a farinha e o sal. Acrescente o azeite e a água. Amasse a massa até ela ficar homogênea e elástica. Divida a massa em 8 bolas. Cubra e deixe descansar por cerca de 30 minutos na geladeira. Com um rolo de macarrão, abra em disco. Deixe os discos bem finos. 
    Esquente uma frigideira em fogo médio-alto. Leve um disco de cada vez à frigideira. Enquanto doura, com uma bola feita com um pano de prato limpo vá pressionando as laterais do disco. Vai perceber que subirão bolhas na massa, pressione levemente as bolas e continue batendo o pano nas laterais do disco (quanto mais fina abrir a massa, mas bolhas irão se formar e mais crocante ficará o chapati). Vire e repita o processo do outro lado (o segundo lado não vai inflar tanto quanto o primeiro).
    É uma delícia ver a massa inflando... kkk