domingo, 8 de dezembro de 2013

Padaria Saturno

'Um pingado e um pão na chapa por favor!'

Começar o dia no balcão de uma padaria é um hábito prá boa parte das pessoas que moram em São Paulo e é impressionante perceber que agora elas são muitas, estão em todos os lugares e oferecendo muito mais do que pão com manteiga.

Esta padaria fica na Aclimação, bairro que até hoje eu não conhecia. Cruzar o trajeto entre a Liberdade e o Paraíso de metrô me privou de conhecer lugares incríveis, mas graças ao meu amigo tour guide o André, fiz gratas descobertas!

Por mais inacreditável que possa parecer isso é de comer! Ficamos (Vivi, Lu, André e eu) no balcão apenas observando, atentos à cada detalhe, cores e formas. Era bonito demais prá ser destruído por uma mordida ou uma garfada e essa foi uma das razões pelas quais não sei dizer que sabor esses doces tem!

A segunda razão pela qual eu não posso tecer quaisquer comentários sobre esses pratos é porque quando voltamos ao balcão dos doces já tínhamos comido tanto que pedir um desses por menor que ele fosse seria gula. 

Além daquilo que se pode pedir no balcão (e o cardápio tem de um tudo) eles tem um serviço de buffet. Por R$22,00 você tem à disposição pães variados (recomendo o de gergelim com passas), queijos, bolos, sonhos, carolinas e outros docinhos fofos, salada de frutas, iogurte e cereais variados, ovo mexido, salsicha e caldos. Para beber café, chá, sucos e leite!


 Xícaras com caricaturas de personalidades e frases inspiradoras nos pires...



Pão francês integral com requeijão na chapa


Rabanada de brioche com banana caramelada e queijo coalho


Rua Loureiro da Cruz, 224
Aclimação São Paulo SP
Horário de Funcionamento: 06:00 às 22:00

domingo, 1 de dezembro de 2013

Prá cada lugar, uma comida: Manaus

Houve um tempo que, em qualquer lugar eu chegava, eu procurava pela comida que eu comia em casa. Agora a história é outra... quando chego num lugar novo, o que eu mais quero é a comida que caracteriza o lugar, aquela que eu não encontrarei facilmente em São Paulo nem no cardápio de uma rede de fast food. 


Cruzei o Brasil e desembarquei em Manaus na semana passada. De cara, devo dizer a cidade tinha opções demais para o tempo que eu tinha disponível. Otimizei a experiência como poucas vezes nesta vida mas infelizmente não dei conta de comer tudo o que encontrei de diferente.


Aqui cabe um parêntesis: cumprido o compromisso de trabalho que me levou até lá, minha meta não era gastronômica, eu queria muito era ver o encontro das águas dos rios Negro e Solimões. Consegui que um barqueiro viesse me buscar no Porto de Manaus e a missão foi cumprida com êxito. É IMPRESSIONANTE notar que as águas não se misturam, que elas tem não só cores mas temperaturas diferentes e que mais prá frente elas se juntam para formar o Rio Amazonas. Nada do que eu ou todos os livros de Geografia disponíveis disser chega perto da experiência de ver ao vivo e é por isso que eu recomendo. Se estiver em Manaus, vá até lá!



E como o passeio de barco não termina no encontro das águas...  garanti a postagem para o blog com um almoço num restaurante flutuante! 


















O restaurante era do tipo 'sirva-se à vontade' mas vamos combinar que não dava prá almoçar no Rio Solimões e comer frango frito? Fiquei com arroz, salada, batata frita e filé de pirarucu empanado. A carne do peixe é escura e firme com uma textura que lembra carne de frango.


De volta à Manaus, segui a recomendação de uma amiga que já tinha ido prá lá e fui tomar o sorvete de tapioca!


















Você encontra lojas da Rede Glacial por toda a cidade e um quiosque no aeroporto. Dá prá chegar e sair de Manaus tomando sorvete. A massa é bem consistente, levemente gordurosa. Além do de tapioca, que me foi recomendado, tomei o sorvete de flocos prá avaliar a qualidade do sorvete (lição que aprendi nos 4 anos que passei tomando sorvete na Cristal em Assis/SP) e o de cupuaçu. #TodosAprovados



A última aventura gastronômica da viagem foi o tambaqui. Trata-se de um peixe típico da região, servido em 9 entre 10 restaurantes e preparado de todos os jeitos possíveis: cozido, frito, assado. Por conta dos espinhos, ponderei que era preciso comê-lo num lugar seguro porque o que seria de mim se eu engasgasse com uma espinha de peixe tendo em vista que eu não domino a habilidade de desengasgar comendo farinha seca? Acreditem, isso dá certo, palavra de quem já viu adultos fazendo isto em casa hahaha














O peixe foi empanado e frito com o alho em lascas. Confesso que quando pedi fiquei esperando por um peixe embebido de óleo mas fui gratamente surpreendida por uma posta sequinha, com alho em lascas crocante e nada de espinhos pequenos. Achei o sabor do tambaqui mais leve que o do pirarucu mas a carne é igualmente firme.

O tacacá, o açaí e todo o resto, ficam para a próxima subida do mapa!