terça-feira, 29 de abril de 2014

Bolo Souza Leão

A receita está lá, no meu livro de receitas do Gilberto Freyre. Morei 04 anos em Tupã, cidade fundada pelo pernambucano Luiz de Souza Leão mas tive que ir até Recife prá comer o autêntico Bolo Souza Leão, no lugar onde a receita originalmente européia foi adaptada!!!


Trata-se de um bolo cremoso, não muito doce e de um sabor muito peculiar! Não estamos falando de um bolo que o gosto ficará na sua boca por muito tempo mas caso você cruze com ele novamente ao longo da vida, será fácil reconhecê-lo!!! 

O Bolo Souza Leão é considerado um dos mais antigos da extensa lista de doces brasileiros, além de ter o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do estado de Pernambuco - outorgado pela Lei nº 357 de 2007.
Acredita-se que a receita já seja conhecida há 140 anos e tenha sido introduzida na história da culinária pernambucana por intermédio de Dona Rita de Cássia Sousa Leão Bezerra Cavalcanti, esposa de um coronel proprietário de engenhos na região de Jaboatão dos Guararapes.
A iguaria é preparada segundo uma receita que inclui mandioca, leite de coco, açúcar, manteiga e ovos. O resultado é um bolo cremoso, com a consistência de um pudim muito firme. Alguns dos ingredientes do Bolo Souza Leão eram originalmente europeus. Estes, com o passar do tempo, foram substituídos por produtos nacionais, facilmente encontráveis na região. O trigo deu lugar à massa de mandioca e a manteiga francesa foi trocada por aquela produzida na própria cozinha do engenho.
O nome do bolo vem da família pernambucana Sousa Leão, que teria sido a criadora da receita no século XIX. Essa família tem suas raízes nos municípios de Jaboatão dos Guararapes e Moreno.

domingo, 27 de abril de 2014

Dicas de Olinda



Se você for à Olinda, ferver com Deus em todas as igrejas ou correr atrás de um boneco gigante e sentir fome depois da maratona, minha dica é coxinha com massa de macaxeira (mandioca para nós do centro sul) com recheio de charque e catupiry. Simplesmente divina! A porção é generosa (minha irmã e eu compramos uma e dividimos) e só custa R$4,00!!!





sexta-feira, 25 de abril de 2014

Todo o meu amor por... cuscuz!

Se eu pudesse associar a minha 'matriz nordestina' à um sabor, seria o do cuscuz!




Nunca comi cuscuz em outro lugar que não fosse na minha casa ou na casa de algum parente (até chegar em Recife e encontrar cuscuz no cardápio do hotel todos os dias no café da manhã e é de muita felicidade que estamos falando).








Os anos se passaram e o prato tradicional também se modernizou! O cuscuz agora virou base de farofa!!! Você prepara o cuscuz normal (e a receita já foi postada aqui http://cozinhaecultura.blogspot.com.br/2011/09/cuscuz.html) e depois que ele está pronto, esfarela e tempera. Fica muito bom!!!!


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Todo mundo come cachorro quente, mas nenhum é igual ao outro!

Se há um item que não falta na mesa de um nordestino é farinha! Eles comem tudo com farinha, tudo mesmo!!! O consumo de farinha de mandioca como acompanhamento nas refeições deixou de ser um hábito aqui em casa (onde moram um sergipano e uma pernambucana) mas como estamos falando de uma volta prá casa... minha mãe não só comeu farinha todos os dias que estava lá como trouxe um pouquinho na mala!!!
Agora quando eu achei que já tinha visto tudo quando o assunto é combinações de comida com farinha eis que descubro que eles botam farinha ATÉ no cachorro quente!!!

Ela está lá, entre o catchup, a mostarda, o milho e a ervilha.


E antes que alguém pergunte se é bom, a tarefa de encarar a iguaria coube à minha tia, prá quem trocar batata palha por farinha pareceu muito normal!!!